Feeds:
Posts
Comentários

Archive for março \07\UTC 2008

Manual de Etiqueta de Uso do Planeta

Ontem, recebi uma cartilha muito interessante da SEMARH – Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Governo do Estado da Bahia, em parceria com o Instituto akatu (pelo consumo consciente), chamado Manual de Etiqueta de Uso do Planeta.

Leiam o trecho que fala sobre doação de aparelhos eletrônicos:
pc-amigo.jpg

“Solidariedade dá o tom da estação. Doe os aparelhos eletrônicos que não usa mais. Além de
ajudar a quem precisa, você evita que todos os materiais usados na sua fabricação, muitas vezes compostos de substâncias perigosas à saúde humana, acabem nas latas de lixo. A cada ano, são descartadas entre 20 e 50 milhões de toneladas de produtos eletrônicos no mundo. Se esse lixo
fosse colocado em vagões de trem, eles dariam uma volta inteira no planeta!”

Endereços:
– cartilha em PDF – http://www.semarh.ba.gov.br/pdf/manual.pdf
– Instituto Akatu – http://www.akatu.org
– SEMARH – http://www.semarh.ba.gov.br

……………………………………………………………………………………………………..

Nosso Projeto

Hoje fiz uma dupla primeira vez:
Primeira criação com o Software GIMP e primeira com o tema MetaReciclagem. Está no topo do blog e aqui: https://lauraste.files.wordpress.com/2008/03/img-top-lauraste2.jpg

Sobre aprender um novo aplicativo

Não há segredo algum. Basta ter paciência para encontrar as ferramentas que ele disponibiliza com a finalidade de executar tarefas semelhantes às que eu realizava no Photoshop, somente de maneira diferente da qual estava acostumada.

Confiram

A atualização da página “Quem sou eu” em https://lauraste.wordpress.com/about/.

Andamento

Já temos dois doadores de vários equipamentos de informática antigos. Um deles trará aqui e o outro vamos arrumar uma maneira de ir buscar semana que vem. Estamos ansiosos para chegar a hora de iniciar oficinas, mas vamos fazer tudo com calma, porque ainda nem temos um espaço e aqui em casa é pequeno para tantas idéias a colocar em prática. Por enquanto, alguma atividade que houver será por aqui mesmo, porque já tem acesso à banda larga e é o que dispomos inicialmente. Quando surgirem novas parcerias para espalhar essas sementes boas junto conosco, será melhor ainda!

Read Full Post »

Um projeto de MetaReciclagem ainda virgem

Já guardei coisas “sem utilidade” por um tempão, sempre pensando nas possibilidades criativas. Cheguei a criar umas coisas loucas quando estava na faculdade: centopéia de fitas K7, luminária de disquetes… desmontava e remontava, dando um novo sentido àquelas coisas que estavam temporariamente sem uso.

Herdei esse gosto de meu pai. Quando eu era pequena, a gente rodava a cidade, passando nos ferros-velhos, caçando peças para montar máquinas de mil coisas que ele inventava. Até hoje ele é assim. E eu não sou nada diferente nisso. Parei um pouco quando engravidei, joguei muita coisa fora, quase-coisas e possíveis coisas que iam se acumulando, mas com a chegada do bebê eu não teria mais tempo para ressucitá-las nem meios de transportá-las nas mudanças tantas que faria até chegar nesta casa.

Hoje estamos aqui, eu e Fábio “Marcelum”, mexendo nos dois computadores que temos em casa, formatando e reformatando com Ubuntu, Fedora, Puppy, Slax, Kalango, Kurumin, e o diabo a quatro até entender como essa parafernália funciona afinal. Bota placa, instala pacote, pesquisa no google, será que é isso, será que é aquilo, fórum, lista de discussão, grava CD, reseta aí… Meu Deeeeeeus, acho que to ficando louca com tanta novidade na cabeça!!! O Janela$ ficou pra trás de uma maneira tão ridícula, que parece que realmente uma grande porta se abriu para nós. Uma sequência de acontecimentos vem trazendo oxigênio à nossa vida. Chega de crackear, bugar, finalizar tarefa, enviar relatório de erros, digitar serial-key porque não dá mais para copiar e colar; o fabricante tá sempre se esforçando para dificultar a cópia ilegal de seus programas e nós correndo atrás do prejuízo.

A nova vida tem dificuldades, como qualquer adaptação. Somos um pouco técnicos de hardware, um pouco programadores, filósofos, designers, mas principalmente somos disseminadores de uma nova mentalidade, da recriação dos espaços digitais e da reapropriação da cultura como bem compartihado.

Agora temos a oportunidade de conhecer softwares livres, como também escrevê-los e até criar interfaces (porque não?!?!) Temos habilidades, temos pessoas para compartilhar conhecimentos e colaborar conosco. Há muito o que estudar. Eu queria não precisar dormir para ter mais tempo e chegar logo no patamar de compreensão em que houvessem menos dúvidas bobas como as que tenho hoje.

Ainda não temos quase nada definido para iniciar a prática. Então, fora o computador que usamos para tarefas mais robustas, estão encostados aqui dois monitores de 6 anos de idade (com a imagem um pouquinho desfocada), uma cpu (funcionando) Pentium III de 500 mHz (128 de ram) e periféricos (alguns funcionando), como scanner, impressora, mouse, teclado e caixa de som.

Moramos num bairro popular de Salvador e conhecemos pessoas de várias idades que não podem pagar por um curso de informática. Gostaríamos de ajudá-las, ensinando-as a usar computadores e a fazer manutenção para que possam, através desses novos recursos, obter um pouco mais de êxito na vida profissional e até mesmo no dia-a-dia, sentindo-se valorizadas e dentro da realidade atual. Essas pessoas têm vontade de se comunicar também! Têm algo a dizer para o mundo, há talentos inatos entre elas.

Ontem, risquei umas idéias à lápis na folha de reciclato. Nomes, desenhos… Delineando na compreensão a palavra MetaReciclagem como o ato de renovar não só as peças consideradas obsoletas, mas principalmente a reciclagem do próprio homem num retorno digno à sociedade e com o poder de canalizar integralmente suas idéias.

Leiam, a seguir, dois trechos extraídos do texto: Por que somos contra a propriedade intelectual? de Pablo Ortellado (recomendo a leitura completa no endereço http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2002/06/29908.shtml)

“Uma vez que tiramos grandes vantagens das invenções alheias, devemos ficar felizes de ter uma oportunidade de servir aos outros com quaisquer de nossas próprias invenções; e isso devemos fazer de forma gratuita e generosa. (Citação de Benjamin Franklin, que sempre se recusou a patentear suas invenções).

(…)

O sucesso do sistema operacional GNU/Linux e do movimento do software livre trouxe um exemplo concreto da possibilidade de se constituir um sistema de criação onde a remuneração não fosse a forma principal de estímulo e onde o interesse coletivo de usufrir com liberdade a cultura humana fosse mais importante do que a exploração comercial das idéias.”

Read Full Post »

Definições…

“Fazer Metareciclagem é principalmente pensar em como empregar a parafernalha tecnológica para projetos socialmente engajados utilizando-se de criatividade artística para isso. Lembrando que por tecnologia entende-se qualquer objeto manipulado pelo ser humano, de uma lápis a um processador dual core.”

“O que as pessoas que aplicam Metareciclagem em suas vidas de fato fazem é levar o conceito de código aberto ao hardware, à parafernália tecnológica. Pois ao abrir a caixa preta da tecnologia, entender como as máquinas funcionam por dentro, reproduz-se a receita do bolo, da feijoada, utilizando-a de sua própria maneira.” (http://www.overmundo.com.br/overblog/low-tech-multimidia)
(http://bailux.wordpress.com/o-projeto/)

Tem tudo a ver comigo!

Read Full Post »

Recriar as formas externas dos equipamentos

Uma nova dimensão abrindo-se neste horizonte digital.

Desejo agregar-me à algo que realmente tenha importância e que faça a diferença para pessoas próximas a mim.

Contribuir localmente, como uma semente, um esporo disseminador de ações positivas para o meio social e o meio-ambiente.

Aumentar a vida útil dos equipamentos, das idéias, das pessoas.

Extrair o melhor dos potenciais, valorizando o latejar inocente das crianças, cheias de vontade de descobrir o mundo e trazendo novo estímulo aos adultos.

Entender e ensinar as melhores formas de utilização das ferramentas digitais, como transformadoras sociais. Recriar as formas externas dos equipamentos, permitindo que a ludicidade traga um pouco mais de alegria ao cotidiano.

Vou começar as atividades aqui no condomínio onde moro, com um pequeno cartaz para agregar equipamentos doados e pessoas interessadas a participar.

Um pequeno passo. Vamos ver no que dá!

Read Full Post »